sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

COM QUE ENTÃO... HÁ POBREZA!


Negaram os sinais de pobreza, passaram ao lado dos dramas sociais e, agora, aparecem aí como salvadoras(es) da "pátria", como pessoas envolvidas e interessadas em resolver o problema. Esquecem-se, por exemplo, que o anterior Presidente do Conselho Diretivo do Centro de Segurança Social da Madeira, Dr. Roque Martins, foi demitido por ter dito a verdade fatual da pobreza. Mas que raio de gente esta, politicamente oportunista, que se colam às situações conforme os momentos! Basta de tanta hipocrisia. Este quadro de permanente folclore ofende os mais pobres e deixa um rasto de descredibilização do exercício da política. Há gente que se tivesse um pouco de vergonha na cara não se prestavam a servicinhos daquela natureza.


Assiste-se a um corrupio de deputados(as) do PSD claramente a quererem demonstrar serviço. Serviço em defesa dos pobres. Há dias, foi aquele súbito interesse da Deputada Rafaela Fernandes pelo Banco Alimentar Contra a Fome. Deputada de quem assisti, ao longo de quatro anos e meio, no Parlamento da Madeira, ao maior e mais despudorado desinteresse pelos pobres; agora, a Deputada Nivalda Gonçalves, outra da mesma linha de pensamento que foi à Cáritas Diocesana evidenciar o meritório trabalho que a instituição realiza. Uma visita tipo água do luso!
Deputadas(os) que ouviram tão bem quanto eu, na Assembleia, o actual Secretário dos Assuntos Sociais, há uns anos, poucos, dizer que a pobreza na Madeira rondava os 4%, quando os vários estudos apontavam para 30%. Isto é, no discurso oficial, a pobreza não existia e mesmo algumas reconhecidas margens, os tais 4%, estavam salvaguardadas pela assistência social. Na opinião do Secretário a Madeira tinha menos pobres que, por exemplo, a Suécia (9%). Espantoso.
Negaram os sinais de pobreza, passaram ao lado dos dramas sociais e, agora, aparecem aí como salvadoras(es) da "pátria", como pessoas envolvidas e interessadas em resolver o problema. Esquecem-se, por exemplo, que o anterior Presidente do Conselho Diretivo do Centro de Segurança Social da Madeira, Dr. Roque Martins, foi demitido por ter dito a verdade fatual da pobreza. Mas que raio de gente esta, politicamente oportunista, que se colam às situações conforme os momentos! Basta de tanta hipocrisia. Este quadro de permanente folclore ofende os mais pobres e deixa um rasto de descredibilização do exercício da política. Há gente que se tivesse um pouco de vergonha na cara não se prestavam a servicinhos daquela natureza.
Há quantos anos andam toda a oposição política e as próprias instituições de solidariedade social a manifestar o crescimento da pobreza. Há quantos anos se sabe que o simples facto de ter emprego não significa que não seja pobre. Há quantos anos era expectável o crescimento do desemprego, hoje com mais de 20.000 e sempre a crescer, e que essa situação significava o aumento exponencial das bolsas de pobreza. Há quantos anos! Deputadas que negaram e chumbaram todas as propostas e tantas vezes tentaram espezinhar o discurso da oposição política e, agora, aparecem aí com um discurso, não sei se de preocupação, mas, no mínimo, de colagem ao drama social, como se alguma vez tivessem evidenciado alguma preocupação pela pobreza. Nunca. Os pobres estavam controlados, era mentira que os idosos deixavam os medicamentos nas farmácias, enfim, todos viviam com dignidade e com a atenção dos poderes públicos. Sinceramente, a idade está a conceder-me cada vez maior tolerância, mas há situações, como é normal dizer-se, que embrulham o estômago.
Ilustração: Google Imagens.

Sem comentários: