terça-feira, 13 de março de 2012

A CULPA É DA MADEIRA? MAS AINDA HÁ DÚVIDAS?


Responder em bloco às perguntas dos deputados constitui a situação mais ridícula e ofensiva num parlamento. Um deputado que coloca uma pergunta tem o direito de ver a sua questão esclarecida, não no meio de outras 34 questões, mas cara a cara e olhos nos olhos. Mas o secretário tem medo desse sistema. Sempre teve medo. Porque ao responder em bloco, pode fugir como quiser às questões mais complexas porque sabe que não terá contraditório; ao responder individualmente, sabe que as questões seguintes podem incidir sobre a sua resposta anterior, o que para ele se torna complicado de gerir. Eu diria que não há diferença alguma entre um plenário desta natureza e uma sessão do Parlamento Jovem!


Começou, esta manhã, na Assembleia Legislativa da Madeira, aquilo que se convencionou designar por debate do Plano e Orçamento da Região. Assisti pela RTP-Madeira já que, lamentavelmente, o sítio da internet da ALRAM continua, inexplicavelmente, a não disponibilizar a sessão em direto. E este aspeto é importante, porque, na parte da tarde, far-se-á total silêncio público sobre o "debate", porque a RTP não transmitirá as intervenções dos seis partidos da oposição. Constituirá, isto, "serviço público", em um momento dramático da vida dos madeirenses e portosantenses? O que pensa a direção da RTP em Lisboa? E o Senhor Ministro da República que intervenção fez no sentido de corrigir esta anomalia? Ao serviço de quê e de quem é que esta situação acontece? Bom, são preocupações legítimas que aqui coloco, sobretudo porque os madeirenses e portosantenses têm o direito de conhecer as linhas mestras que o Plano e Orçamento determinará para as suas vidas ao longo do ano de 2012.
Independentemente deste aspecto, saliento, desde já, dois factos que demonstram, inequivocamente o estado da democracia, da vida e da vivência política na Região: o presidente do governo, após ter escutado a intervenção do secretário do Plano e Finanças, pegou na sua malinha e pôs-se a andar do hemiciclo. Fugiu. Aliás, o que normalmente faz. Por outro lado, o secretário responsável pelo Plano e Finanças, decidiu, uma vez mais, responder em bloco às perguntas dos 34 deputados que se inscreveram para colocar as suas dúvidas. Responder em bloco aos deputados constitui a situação mais ridícula e ofensiva num parlamento. Um deputado que coloca uma pergunta tem o direito de ver a sua questão esclarecida, não no meio de outras 34 questões, mas cara a cara e olhos nos olhos. Mas o secretário tem medo desse sistema. Sempre teve medo. Porque ao responder em bloco, pode fugir como quiser às questões mais complexas porque sabe que não terá contraditório; ao responder individualmente, sabe que as questões seguintes podem incidir sobre a sua resposta anterior, o que para ele se torna complicado de gerir. Eu diria que não há diferença alguma entre um plenário desta natureza e uma sessão do Parlamento Jovem!
Portanto, este pseudodebate começou mal e dele nada resultará. O que assisti até agora foi um PSD apavorado, muito preocupado, a defender o que aos olhos de todos é indefensável, com decibéis muito acima do normal, com uma postura agressiva mas com os deputados a espelharem nas suas caras um desconforto muito grande. E quando o Deputado Coito Pita questionou se é a "Madeira que tem culpa", eu pergunto, se ele, lá no fundo, ainda tem dúvidas? Quem é que geriu o processo ao longo de 36 anos? Quem é que gerou a monstruosa dívida? Se ele, no seu escritório ou na sua vida particular, não tem preocupações em não gastar menos do que ganha? Se ele andar mal, gastando acima das suas possibilidades, não será responsabilizado pelo seu descontrolo? Ora, esta manhã, o pseudodebate do Plano e Orçamento, exatamente no momento em que fala o secretário que responde às tais 34 perguntas dos Deputados, ocorre-me o célebre "sketch" do "Gato Fedorento" que aqui deixo...

3 comentários:

Pica-Miolos II disse...

Senhor Professor
Até parece que 25 vendedores de "Kunami" fazem um "parte-time" na ARAM...
"Kunamiiiiiiii..."

João André Escórcio disse...

Digo o mesmo... Kunamiiiiiiiii fresquinho!!!!

Violante Saramago Matos disse...

Kunami ! Pois claro.
Que pena não poderes transformar este sketch numa intervenção...