sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

PARQUES DE ESTACIONAMENTO



"(...) Rever a política relativamente aos parques de estacionamento. Entendemos que tal serviço deve enquadrar-se  no âmbito social e não comercial". (Programa Eleitoral do PS-Madeira de 1993)


Só peca por tardia a decisão da Câmara Municipal do Funchal em tomar como sua a responsabilidade de gestão dos parques de estacionamento cobertos da cidade. Uma decisão que vem atrasada vinte anos. Em 1993, o programa político do PS-M às eleições autárquicas desse ano assumiu na página 22 (Política de Transportes, Mobilidade e Parques de Estacionamento): "(...) Rever a política relativamente aos parques de estacionamento. Entendemos que tal serviço deve enquadrar-se  no âmbito social e não comercial". Queria isto significar um não, puro e simples, à entrega da exploração ao sector privado. Mais tarde, nas candidaturas de 1997, 2001 e 2005 este assunto foi motivo de debate na perspectiva da recuperação daquilo que poderia e deveria ser um substancial recurso da autarquia. Lembro-me de, quer eu quer outros vereadores, terem defendido este posicionamento, sistematicamente, à mesa da reunião semanal (consta de várias actas) face ao qual a Câmara sempre se mostrou contrária. Folgo com a persistente acção política do PND que, desde há muito, também tem lutado no mesmo sentido. Penso que se trata de uma decisão tardia, mas constitui uma vitória do bom senso e de que vale a pena lutar. O que alguns não podem é ter memória curta e tomarem esta decisão da Câmara como inovadora. 
Ilustração: Google Imagens.

Sem comentários: