quarta-feira, 15 de maio de 2013

E O BISPO, NADA DIZ?


O mínimo que se exige é que o Senhor Bispo peça perdão do Padre José Luís. Se não o fizer é tão velhaco quanto o sujeito que publicou ou mandou publicar tal baixaria. Que todos, aliás, adivinham quem será! O que o DIÁRIO deu a conhecer aos leitores não constituiu um ataque à Igreja; já este cartoon é um claríssimo e baixo ataque a um membro da Igreja. O Bispo só tem uma de duas hipóteses: ou pede perdão e corrige esta pouca-vergonha diária, ou assume, de uma vez por todas, que a Diocese nada, rigorosamente nada, tem a ver com o Jornal, muito menos com o seu estatuto editorial. Estar dentro e fora por múltiplas razões não lhe fica bem.


Não gosto, por isso, não leio o Jornal da Madeira. Ponto final. O que não significa que não tenha uma opinião sobre o que ele significa de dinheiro público gasto para a promoção de uma corja de políticos que está a dar cabo da Região, para além de uma clara intenção de, paulatinamente, através de uma determinada estratégia, conduzir à falência o Diário de Notícias. Não o conseguirão, estou certo disso. Entretanto, pelo caminho, a destruição de postos de trabalho está a acontecer a um ritmo assustador. Mas não é desse aspecto que me proponho escrever. Ontem, chamaram-me a atenção para o cartoon. Um nojo. Como se, por um lado, o DIÁRIO, na sua missão de informar, pudesse esconder uma desagradável situação que envolve o Pároco de S. Vicente e Ponta Delgada, vítima que foi de um caso de extorsão na sequência de um envolvimento íntimo com um professor de dança natural de Cuba; por outro, como se o Padre José Luís, da paróquia de S. Roque, tivesse alguma coisa a ver com os critérios editoriais do DN-Madeira. Preferia, certamente, o autor do cartoon, que aquela lamentável situação que decorre no Tribunal fosse silenciada, à semelhança de tanta porcaria política que certos não gostam de ver denunciadas. O habitual.
Mas o mais grave daquele cartoon é que ele é publicado num jornal cuja orientação editorial pertence ao Senhor Bispo António Carrilho. Repito, aqui, esta parte do Estatuto Editorial: "O JORNAL DA MADEIRA é um Diário de perspectiva cristã aberta a um são pluralismo ideológico, na fidelidade ao Evangelho e no amor da Verdade, visando a formação humana plena, que desperte os Homens para as suas responsabilidades e para a sua participação na construção do mundo contemporâneo, pelo que não está enfeudado a qualquer partido político, antes desenvolvendo uma visão crítica das realidades". Questiono, então, que raio de Bispo este que permite que um jornal que tem a responsabilidade editorial do Bispo da Diocese, atacar, vergonhosamente, um dos membros que serve a Igreja? Será isto uma "perspectiva cristã" e uma "fidelidade ao Evangelho"?
O mínimo que se exige é que o Senhor Bispo peça perdão do Padre José Luís. Se não o fizer é tão velhaco quanto o sujeito que publicou ou mandou publicar tal baixaria. Que todos, aliás, adivinham quem será! O que o DIÁRIO deu a conhecer aos leitores não constituiu um ataque à Igreja; já este cartoon é um claríssimo e baixo ataque a um membro da Igreja. O Bispo só tem uma de duas hipóteses: ou pede perdão e  corrige esta pouca-vergonha diária, ou assume, de uma vez por todas, que a Diocese nada, rigorosamente nada, tem a ver com o Jornal, muito menos com o seu estatuto editorial. Estar dentro e fora por múltiplas razões não lhe fica bem.
Ilustração: Google Imagens.

Sem comentários: