sexta-feira, 8 de novembro de 2013

SENHOR ROBERTO, A "MARÉ NEGRA" VAI CHEGAR, MAS EM 2015!


Começo pelo Porto Santo. O ex-presidente de Câmara, Senhor Roberto Silva, se tivesse um pouco de decência política, neste momento, o melhor que fazia era se manter discreto. Um homem que durante vários anos não conseguiu ver o perigo que representava uma palmeira inclinadíssima, denunciada, várias vezes, pelo DIÁRIO, a tal que viria a matar duas pessoas, tem a lata e sobretudo o mau gosto de vir falar do PS, partido que, segundo a sua opinião, precisa de uma "maré negra para justificar incapacidade", quando este executivo apenas têm quinze dias de mandato. Obviamente que não discuto a governação do senhor Roberto Silva. Não sou natural do Porto Santo, não acompanho a vida dos portosantenses, todavia, sei o essencial, aquilo que é do domínio público e transmitido através da comunicação social. Sei como se processou o crescimento da ilha (não o desenvolvimento) que veio a gerar um preocupante desemprego, conheço a percentagem de empresas em insolvência e, infelizmente, com problemas na Justiça, domino o essencial dos dramas da juventude que não consegue sonhar, sei o que se passa na hotelaria e na restauração, sei dos níveis de pobreza e sei o que foram os mandatos do PSD, os mandatos Roberto Silva, que não souberam acautelar e compatibilizar, repito, o crescimento com o desenvolvimento. Nem as questões relacionadas com os transportes, o que fará com tudo o resto! A palmeira não o deixou ver, porque o partido estava em primeiro lugar. Chocou-me, por isso, a história da "maré negra", como se pudesse brincar com coisas que são muito sérias. Teria sido melhor o silêncio, sobretudo quando não são poucos os telhados de vidro políticos.

Quem não viu isto, poderá ver o resto?

Mas é assim que esta gentinha se comporta. A manchete da edição de hoje do DIÁRIO é muito clara sobre o calibre de certas pessoas. O presidente da Câmara da S. Vicente, José António Garcês, que venceu com um expressivo resultado próximo dos 65%, contando com o apoio sobretudo do PS, quando questionado sobre as tentativas de persuasão, diz, claramente, "(...) O que é que acha? Não sabe como funciona o sistema?" (...) "Não foi nada que já não estivesse à espera" através de expressões como "toma cuidado…" ou "sabes onde trabalhas" tudo no sentido para que "não concorresse ao acto eleitoral" de 29 de Setembro passado. Até um lugar como deputado lhe ofereceram. E o que dizer da atitude do Presidente do Governo Regional sobre as dívidas das autarquias à Empresa de Electricidade da Madeira? Mais do que palavras, deixo aqui o exemplo noticiado pelo DIÁRIO, relativamente àquela execrável atitude de sugerir a  EXECUÇÃO das dívidas dos municípios à Empresa de Electricidade da Madeira. Estes dois documentos demonstram, inequivocamente, de que são capazes certos senhores:



DIÁRIO noticiou, com base na informação recolhida; o  governo, logo de seguida, divulgou um comunicado contrariando o essencial das suas posições. Mais grave, ainda, com palavras impróprias mas costumeiras. É assim que funciona certa gente. Mentem, deturpam, ficam cheios de raiva, explodem, como se os cidadãos fossem uma cambada de mentecaptos. Entre o Senhor Roberto e outros que tentam sobreviver politicamente, venha o diabo e escolha! Em 2015 a população irá às urnas e o "ambiente" será limpo.
Ilustração: DN/com a devida vénia.     

Sem comentários: