terça-feira, 17 de dezembro de 2013

MENTIROSOS


"Portugal é um País que honra os seus contratos", então, é legítimo, à luz dos comportamentos políticos, perguntar a estas figuras o que significam as palavras: contrato, respeito, compromisso, confiança, expectativa, decência, verticalidade, honradez, honestidade, dignidade, enfim... estas e muitas outras. Não sabem!


"Portugal é um País que honra os seus contratos", afirmou, ontem, o Vice Primeiro-Ministro Paulo Portas (CDS/PP) ao longo de uma conferência de imprensa sobre as "avaliações da troika". De facto, submete-se às imposições externas, até tem sido "mais papista que o Papa", ao ponto de ser exemplar no substancial aumento de milionários, todavia, no plano interno, por exemplo, os portugueses aposentados que o digam: não respeita os contratos, antes rasga-os. Aquele que constitui mais um ataque (esbulho) aos pensionistas e reformados será decidido, na próxima Sexta-feira pelo Tribunal Constitucional. Este é apenas um exemplo. Aliás, há dias, ouvi o Primeiro-Ministro dizer que não há nada na Constituição que impeça a redução das pensões! Está tudo dito: subserviência no plano externo e ausência de um pingo de solidariedade no plano interno. Os patrões e a generalidade dos parceiros sociais não se opõem ao aumento do salário mínimo nacional, porém o governo considera que esse aumento prejudica a empregabilidade. Espantoso. Ainda ontem, Eugénio Fonseca, presidente nacional da Cáritas, sublinhou: "(...) Não percebo como é que aumentando o salário se possa criar mais pobreza". De facto, ninguém percebe, mas o governo entende que prejudica.
"Portugal é um País que honra os seus contratos", então, é legítimo, à luz dos comportamentos políticos, perguntar se estas figuras o que significam as palavras: contrato, respeito, compromisso, confiança, expectativa, decência, verticalidade, honradez, honestidade, dignidade, enfim... estas e muitas outras. Não sabem! Rasgam os contratos e violam a confiança depositada e sempre sobre os mesmos. Uma vergonha.
Ilustração: Google Imagens.

Sem comentários: