domingo, 19 de janeiro de 2014

CONGRESSO DO PS-MADEIRA (III) - PALAVRA-CHAVE: RECOMEÇAR


"Eu tenho um sonho para a Madeira em que a democracia e justiça social andem de mãos dadas" - Vítor Freitas

Muito importantes os dois discursos de encerramento do XVI Congresso do PS-Madeira. Deles sobressai uma palavra-chave: RECOMEÇAR. Concordo. E este recomeço por uma Madeira próspera, de liberdade, de democracia e de Autonomia, precisamos de estar todos unidos, deixando de lado, do ponto de vista ideológico, o que nos desune, para nos centrarmos naquilo que nos une. Se assim não acontecer, se alguns egoísmos prevalecerem, quem continuará a pagar a factura serão todos os madeirenses e portosantenses. Disse Vítor Freitas, o presidente reeleito dos socialistas, que se congratula com a luta de alguns que agora tentam construir a democracia no PSD, mas que ninguém se esquecesse "que aquilo que estão a exigir hoje no vosso partido, negaram há Madeira" durante anos. E disse mais: "(...) o futuro passa por uma mudança política sem cometer os erros do passado. A Madeira precisa de um novo começo", onde prevaleça a ética, a humildade na política e o envolvimento dos cidadãos nas decisões políticas. "(...) é chegada a hora de dar uma oportunidade" a novos protagonistas políticos de uma "geração que acredita na democracia" mas que "nunca governou". E acrescentou: "Eu tenho um sonho para a Madeira em que a democracia e justiça social andem de mãos dadas".

Sem comentários: