sábado, 1 de março de 2014

LUCRO? MAS A QUEM PENSAM QUE ENGANAM?


Os "delírios" do secretário Ventura Garcês anunciam uma pressuposta riqueza num oceano de pobreza! Uma espécie de conspiração de estúpidos!

Uma espécie de "Lago dos Tubarões"

Para os menos atentos, o paleio na República e também por aqui, de tanto repetido, até parece ser verdade. A síntese ontem feita pelo Deputado do PS-Madeira, Dr. Carlos Pereira, traduz a realidade:
"Estamos perante uma espécie de conspiração de estúpidos onde há uns que dizem que é preciso apertar até ao tutano, porque a Região não tem dinheiro, veja-se o caso da saúde onde o caos é evidente, e há outros que ousam afirmar que temos lucro, fazendo um folclore irresponsável e uma propaganda que mascara a realidade" (...) no mesmo dia em que “se sabe que o PIB da Região cai para níveis inferiores à média europeia, mesmo tendo o contributo anómalo das actividades do Centro Internacional de Negócios”, Ventura Garcês assume que "a Madeira poderia dar lucro se não fosse a dívida". Ora, a dívida da Região Autónoma anda pelos seis mil milhões de euros, cerca de 130% do PIB. Uma dívida que não está toda a pagamento, uma vez que, segundo Carlos Pereira, haverá "2.600 milhões de euros de dívida financeira e mais 800 milhões de dívida comercial cuja amortização não está a entrar nas contas da Região". 
Na prática, até 2015, desenvolve o texto hoje publicado no DN, da autoria do jornalista Jorge de Sousa, a Região só pagará juros da dívida à República, de 1.500 milhões, relativos ao PAEF e da dívida à banca de 1.100 milhões, contraída com aval do Estado. Só a partir de 2016 e 2017 a região terá assumir a amortização destas dívidas, num total de cerca de 500 milhões de euros ao ano. "Não há lucro que suporte encargos da ordem dos 500 milhões de euros, correspondentes a 75% das receitas da Região". Acrescentou o Deputado: os "delírios" de Ventura Garcês não são "compatíveis com os tremendos sacrifícios que os madeirenses estão a fazer para pagar a dívida de que este mesmo secretário foi cúmplice".
Lucro? Mas a quem pensam que enganam?
Ilustração: Google Imagens.

1 comentário:

jorge figueira disse...

Que será lucro num ente público? Será elaborar um orçamento irrealista e chegar ao fim com saldos orçamentais,ou, pelo contrário chegar com dinheiro em cofre no fim do exercício? Onde ficará s. Exa? Jorge figueira