quarta-feira, 26 de março de 2014

PREOCUPAÇÕES


Preocupante não é o que se sabe. Preocupante é o que não se sabe, tudo o que se esconde no labiríntico poder. Preocupante não é apenas a dívida. Preocupante é a engrenagem e conluios que se escondem por detrás de qualquer dívida que se tornou impagável. Preocupante não é apenas um governo esconder mil milhões de facturas. Preocupante é a Justiça funcionar muito devagarinho. Preocupante não é o que dizem em cima do palco. Preocupante é a baixa capacidade de interpretação e de cruzamento dos dados sobre o que dizem. Preocupante não é apenas o "roubo" através da dupla austeridade. Preocupante é o povo docemente aceitá-lo. 


Preocupante não é os políticos quererem eternizar-se no poder. Preocupante é permitir que se instalem e façam do exercício da política uma profissão e negócio. Preocupante não é apenas o congelamento das carreiras profissionais. Preocupante é vê-los assinarem, descaradamente, as suas promoções. Preocupante não é apenas o estado dos sistemas educativo e de saúde públicos. Preocupante é assistir, impavidamente, ao abandono e insucesso escolar, ao atraso de 16.700 cirurgias e à subtil transferência de responsabilidades constitucionais para o sector privado. Preocupante não é apenas a loucura inauguracionista. Preocupante é a falta de respeito pelos instrumentos de planeamento territorial onde nem as reservas naturais escapam. Preocupante não é vivermos no meio do Atlântico. Preocupante é a existência de infraestruturas desajustadas da necessidade, em degradação e tendencial abandono. Preocupante não é sermos insulanos. Preocupante é termos os transportes marítimos monopolizados na operação portuária e uma imagem de cartel entre operadores. Preocupante não é a queda pontual dos indicadores de turismo. Preocupante é a crise estrutural, por ausência de estratégia, desde a inauguração do novo aeroporto. Preocupante não é, por exemplo, uma baixa pontual na produção de banana. Preocupante é já termos produzido 43.250 toneladas e, agora, andarem satisfeitos com 15.403 toneladas. Preocupante não é apenas a interpretação que fazem da democracia. Preocupante é a fraude política que é a Assembleia Legislativa, o Jornal da Madeira, a castração do pensamento e o sentimento de medo criado.
E perante isto, querem dar música celestial, com uma mancheia de candidatos a quererem passar uma esponja sobre o passado. Só que a esponja está sujíssima e, quanto mais esfregam o quadro das memórias, mais borrada aparece. Merecem uma longa cura de oposição, para que possam “expiar os pecados" políticos que conduziram a uma dívida superior a seis mil milhões, desemprego e pobreza.
Ilustração: Google Imagens.
NOTA:
Artigo de opinião, da minha autoria, publicado na edição de hoje do DN-Madeira.

2 comentários:

jv disse...

Caro,J.André Escórcio, preocupante é tudo isto parecer tão «normal». Aceitar todo este estado de coisas, como se tudo isto, tivesse de ser assim.
Nunca pensei ser possível que a intoxicação dum povo pudesse ser tão anestesiante. «Vemos, ouvimos e lemos, não podemos ignorar.»
Depois de tudo o que elencou, preocupante é parecer que poucos se preocupam com isto.
Obrigado pela sua intransigente coerência, manifestada no seu acutilante texto, pleno de actualidade,e de interesse como sempre.
Um abraço JV

João André Escórcio disse...

Caríssimo, apenas duas palavras: muito obrigado.