domingo, 27 de abril de 2014

SOCIEDADES DE ENDIVIDAMENTO E OS POBRES


Através do blogue fenixdoatlantico tomei conhecimento dos salários do Conselho de Administração das Sociedades  de Desenvolvimento. Vale a pena ir ao blogue assinado por Luís Calisto e verificar toda a história que se encontra publicada no Jornal Oficial da Região. O presidente aufere € 11.157,00 (base), mais € 2.910,00 despesas de representação, mais € 1.617,00 de subsídios de férias e de Natal, mais € 1,06, por dia, de subsídio de refeição. Os dois vogais, dada um, € 9.702,00, mais € 2.910,00 de despesas de representação, mais € 1.617,00 de subsídio de Natal e de férias, mais € 1,06 de subsídio de refeição. 


Não discuto o valor das pessoas envolvidas e se aqueles são ou não um valor ajustado. Não entro por aí, porque nunca fiz nem faço contas à vida dos outros. Mas não sou cego. O que sei é que as sociedades estão FALIDAS e somos todos nós que estamos a pagar aqueles salários que saem fora da média. O que sei é que há fome, desemprego e famílias desesperadas. O que sei é que os trabalhadores da função pública têm as suas carreiras congeladas, que são convidados a deixarem os seus postos de trabalho a troco de uma miserável compensação. E sei, também, que os reformados e pensionistas são espoliados todos os meses até ao tutano. O que sei é que aqueles são salários superiores ao de Presidente da República e de toda a hierarquia principal do Estado. 
No mesmo dia que tomei conhecimento desta história, acompanhei uma peça  na RTP-Madeira onde foi dito que 50% dos titulares de fogos de habitação social solicitaram revisão das rendas sociais, nos blocos da responsabilidade da Investimentos Habitacionais da Madeira. Isto é, metade dos inquilinos olharam para a folha de salário, de pensão ou de subsídio de desemprego e concluíram que não podem cumprir os seus deveres. É isto que eu sei. Cada um que retire as suas conclusões.
Ilustração: Google Imagens.

Sem comentários: