domingo, 25 de maio de 2014

HÁ BOMBA POR PERTO!


Nunca Alberto João Jardim escreveu um artigo politicamente tão acutilante como o de hoje. Apenas isto: "Pschiu! Hoje não há conversa. Vamos votar!" Sublime. Fantástico. Ele que até em dia de eleições costumava inaugurar obras públicas e privadas, desta vez, decidiu não encher colunas de habituais vómitos políticos. Das três, uma: ou tomou juizinho, ou já não tem nada para dizer, muito menos para inaugurar! Ou um misto das três, se bem que juizinho político é coisa que nunca apresentou, nem na montra nem no armazém. De qualquer forma, no plano do debate político, foi uma atitude de higienização mental para muitos que passam os olhos pelos seus escritos. Seria fastidioso, no dia de hoje, ler historietas da maçonaria, da "perseguição" da família Blandy e dos que pertencem à Madeira Velha. Se não lhe desse para outra coisa, para pegar na esferográfica e despachar meia dúzia de tiros contra os que tentam retirar-lhe o tapete da quintinha onde diz trabalhar pela Madeira. 


No entanto, este silêncio, politicamente, pode ter um outro significado. Será um passo atrás para dar dois em frente? Ás vezes os silêncios são ensurdecedores. E neste caso, que jogadas estará a desenhar para mais um qualquer xeque-mate? E a quem? Naquele saco de gatos no qual o PSD-Madeira está transformado, onde a ninhada cresce e  se arranha por desespero, se esta atitude de "Pschiu! Hoje não há conversa",  à cautela, transporta o significado do receio pelos resultados que venham a se verificar fechadas as urnas? Nem uma palavra contra a abstenção, na perspectiva de, pelo menos os seus, darem corda aos sapatos e comparecerem. Estranho. Ou há "gato escondido..." ou perdeu a seu retrato de "único importante"! Seja como for, repito, no jornal pago pelos nossos impostos, desta vez esteve muito bem, pelo menos não incomodou! Mas há bomba por perto!
Ilustração: Google Imagens.

Sem comentários: