segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

INSENSIBILIDADE SOCIAL


O Deputado Nuno Magalhães (CDS/PP), citando M. Thatcher, disse que "o socialismo acaba quando termina o dinheiro dos outros". Para já não lhe fica bem este tipo de declaração. Se é verdade o discurso oficial, o CDS/PP diz-se social e que segue a doutrina social da Igreja. Percebe-se, então, que as posições flutuam de acordo com as circunstâncias políticas. Independentemente disso, coloco uma pergunta: mas qual dinheiro dos outros? O dinheiro que é roubado, descaradamente, todos os meses, para alimentar o círculo vicioso de uma austeridade imposta, devido a uma crise FABRICADA externamente? Qual dinheiro dos outros, quando cresce a pobreza e se multiplicam os milionários? 


O Dr. Nuno Magalhães tinha apenas dois anos quando se deu o 25 de Abril. Não sabe nada sobre os 48 anos de ditadura feroz, sobre a estúpida guerra colonial, sobre o analfabetismo e sobre a ausência de direitos. Não sabe nada sobre as significativas bolsas de pobreza que, hoje, se alastram por todo o país e que têm conduzido a uma emigração semelhante àquela que se verificou há 50 anos. E o mais triste do seu discurso, é que ele foi eleito pelo Círculo Eleitoral de Setúbal, zona do país desde há muito martirizada pela fome. O Deputado parece seguir a lógica política que defende o princípio que determina: primeiro, há que alimentar os tubarões para, depois, os pobres possam ter alguma coisa que vá caindo do faustoso banquete dos senhorios! Não é esse o meu caminho.
Ilustração: Google Imagens.

Sem comentários: