segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

UMA EUROPA EM DECADÊNCIA



Este senhor Jeroen Dijsselbloem (à esq), presidente do Eurogrupo, o tal que disse ter um mestrado que, afinal, não tem, em conjunto com muitos dos seus parceiros que alinham no designado "masoquismo económico e financeiro", dá-me a entender que está a esticar o elástico até ao limite. Na reunião de hoje dos ministros das Finanças da zona euro, realizada em Bruxelas, a Grécia rejeitou uma proposta de compromisso face à qual o governo grego teria de prolongar e concluir o actual programa de assistência financeira. Uma fonte do governo grego considerou "absurda" e "inaceitável" tal proposta. A austeridade é o caminho, muito embora tal caminho já tivesse sido condenado por tantos economistas e políticos. Os próximos capítulos serão muito complexos e a Europa corre o sério risco de entrar em colapso. Como mero observador penso que não estão a ver o filme todo. Será apenas paleio ou a aproximação à China e à Rússia é uma hipótese em cima da mesa? Em todo este processo europeu há uma figura que tem passado entre a chuva sem se molhar. Refiro-me a Durão Barroso que presidiu aos destinos europeus durante dez anos. Não serão estas, também, consequências das suas políticas?

Sem comentários: