quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

WOLFGANG SCHÄUBLE PORTUGAL É "A MELHOR PROVA" DE QUE OS PROGRAMAS DE AJUSTAMENTO FUNCIONAM



Ao mesmo tempo que este senhor assume como destino a gravosa e penalizadora austeridade, Junker diz que "pecámos contra a dignidade dos cidadãos gregos, portugueses e irlandeses" (...) e que "é preciso aprendermos com as lições do passado". Junker vai ao ponto de criticar, severamente, os dez anos de Durão Barroso. O curioso disto é que Cavaco Silva, Passos Coelho, Paulo Portas e Maria Luís Albuquerque pensam como o alemão Schäuble.
Com todos os erros internos que possam ser imputados à Grécia, a verdade é que a austeridade nada resolveu num País com 35% da população em risco de pobreza. Pavloupolos, eleito Presidente da República grega, exclamou: "(...) Se isto não é uma crise humanitária, é o quê?". E em Portugal, a situação não é também dramática? Como iremos pagar a dívida, insisto, fabricada externamente? Através de uma contínua austeridade que rouba? Cavaco Silva e seus pares deveriam ter a percepção da realidade e de não alinharem nesta loucura destruidora da esperança, em consequência de uma partidarite aguda.
Ilustração: Google Imagens.

Sem comentários: