quinta-feira, 5 de março de 2015

TODOS SÃO IGUAIS MAS HÁ UNS MAIS IGUAIS QUE OUTROS


Quantos já tiveram de pagar multas ou coimas por um ligeiro atraso nas obrigações fiscais? Coimas que, muitas vezes, não são suaves! Ora, segundo escutei, o cidadão Pedro Passos Coelho foi reincidente durante alguns anos. Obviamente que não pode argumentar desconhecimento da lei, até porque sempre teve responsabilidades políticas. E não devia ter atacado quem atacou, ainda por cima quando se encontra em prisão preventiva. Teve resposta imediata: "Sócrates acusa Passos de “acto desprezível” que o deixa “perto da miséria moral”. 


Para que conste: em Outubro de 2006, na Suécia, a ministra da Cultura demitiu-se no meio de grande polémica: Cecilia Stego Chilo não tinha pago durante 16 anos a taxa sobre a licença de televisão (2.861 euros, em valores desse ano), nem feito as contribuições sociais para a sua empregada doméstica. No momento da demissão, a ministra afirmou que a falha em cumprir estas obrigações "não era aceitável". Perante este quadro, no plano político, o mínimo que se esperava do cidadão Pedro Passos Coelho era um pedido de desculpa aos portugueses (massacrados) e não o de sublinhar que não era “um cidadão perfeito” pois “muitas vezes me atrasei nos prazos ou entreguei as coisas apenas na altura em que o Estado me exigiu”. E os outros?

Sem comentários: