quarta-feira, 1 de abril de 2015

LEVIANDADE


Um colega da escola onde exerci a docência, um dia contou-me que um aluno com um teste de avaliação de conhecimentos muito fraco disse-lhe: "professor, errar é humano", ao que esse meu colega lhe respondeu: "mas estás a ser muito humano, não achas?". 


Vem isto a propósito da baralhada da assembleia de apuramento geral dos resultados do recente acto eleitoral. Foi atribuído o 47º deputado à CDU, publicada a respectiva acta, para logo depois ser corrigida porque quem introduziu os resultados esqueceu-se de adicionar os do Porto Santo,dizem. No meio disto, produziram-se declarações, textos (eu próprio deixei um na minha página de FB) felicitações ao povo da Madeira, abraços, enfim, momentos de contentamento, ao lado de outros de tristeza por perda da maioria absoluta. É evidente que errar é humano, mas tal como aquele aluno, a Comissão Nacional de Eleições dir-se-á que foi humana demais. Não se pode ser tão leviano no que se publica, sobretudo pelos efeitos que provocam e pelo sentimento que fica de falta de transparência.
Ilustração: Google Imagens

1 comentário:

jv disse...

Caro amigo, pior leviandade será não se fazer a recontagem total dos votos e acabar com todas estas discrepâncias.
Leviandade? Mas parece que na Madeira, a leviandade foi sempre o estado normal, durante a vigência de todos estes governos que por aí passaram. O pior é que as pessoas, pelos vistos, concordam com isto, apesar dos custos a que são obrigados a pagar.
Vamos lá entender isto.
Abraço JV