segunda-feira, 18 de maio de 2015

JOVENS APÁTICOS E INDIFERENTES?


Lamento dizê-lo até por respeito à instituição Presidência da República, mas o Professor Cavaco Silva é uma anedota política. Referiu: "(...) Tenho chamado a atenção, em diversas ocasiões, para os riscos da crescente apatia cívica e da indiferença dos jovens perante a actividade política. Num tempo em que comemoramos 40 anos de democracia, é fundamental que a sociedade e a classe política, em particular, passem das palavras aos actos". Apatia cívica e indiferença? Mas não será ele um dos culpados dessa apatia e dessa indiferença? Seria bom que ele tivesse presente que no período em que foi Primeiro Ministro, entre 6 de Novembro de 1985 e 28 de Outubro de 1995 (dez anos, durante os quais duas maiorias absolutas) poderia ter tido, mas não teve, o engenho de lançar políticas educativas no sentido do empenhamento e da participação cívica. Os jovens que ele fala de apáticos e indiferentes, têm hoje entre 20 e 30 anos se considerarmos esse período de 1985 e 1995.


Portanto, jovens que passaram pelo sistema educativo cujo período ele próprio teve responsabilidades. Ah, pois, compreendo, em dez anos teve cinco ministros da Educação. Um recorde! E, por isso mesmo, não soube privilegiar a estabilidade e desenvolver as necessárias políticas educativas que não se circunscrevessem ao conhecimento livresco e de manual. Mas, se bem que muito importante, não é apenas isso que está em causa. Esteve e está em causa o seu próprio comportamento político enquanto primeiro-ministro e, depois, presidente da República. Estes últimos dez anos de presidência da República foram um desastre na credibilidade política e essa descredibilização está nas inúmeras peças de humor que o ridicularizam. É este homem que um dia disse: "eu nunca me engano e raramente tenho dúvidas" que vem agora falar de "apatia e indiferença" nos jovens. Não vou muito longe, basta olhar para estes quatro últimos anos e ter consciência da sua apatia e indiferença perante o desemprego jovem. É esse desemprego que bloqueia a esperança, quando verificamos, através dos últimos números trimestrais do Instituto Nacional de Estatística (INE), que a taxa de desemprego jovem está em 34,4%, devido, claramente, às ineficazes políticas do governo. E qual foi, pergunto, a actuação do Presidente da República junto do Governo de Passos Coelho? Tolerância total. 
Cavaco continua, hoje, a olhar para o "sorriso das vacas" (...) satisfeitíssimas olhando para o pasto verdejante." (Açores, 21-09-2011). Senhor Presidente deixe-nos em paz porque consigo não vamos a parte alguma!
Ilustração: Google Imagens.

Sem comentários: