domingo, 3 de maio de 2015

O FUTEBOL PROFISSIONAL DEVE PERTENCER À ECONOMIA E NÃO À EDUCAÇÃO


Directamente ao assunto, apenas, repito, apenas, em um caso particular. Ficará para depois uma análise mais detalhada sobre os sistemas educativo e desportivo. Li que, no próximo Orçamento Regional, o "desporto" na sua vertente profissional, terá um corte de, grosso modo, quinhentos mil euros. Fiquei estupefacto sobretudo pelo carácter isolado da medida. Quando esperava por uma decisão política global, para que todos possamos perceber o que é que este governo pretende dos sistemas educativo e desportivo, saiu um tiro no escuro, politiqueiro, porque não acompanhado de um pensamento sobre a compaginação ou interface dos dois sistemas. Apontam para quinhentos, como poderiam ser quatrocentos ou seiscentos. A razão substantiva que deveria determinar uma determinada decisão política, essa não existe ou, no mínimo, não foi divulgada.



Por outro lado, começo a ficar com o pressentimento que continuam a mexer na roda do prato para que o essencial continue como sempre esteve. E a pergunta surge, inevitavelmente: que justificação existe para que o "desporto" na sua vertente profissional continue no âmbito da secretaria da Educação? Então as sociedades anónimas desportivas (SAD) não são empresas de direito privado, constituídas por acionistas? Então, se são, não deveriam estar sob a "tutela" da secretaria da Economia? Devem ou não ser analisadas como qualquer outra empresa? As SAD até podem estar cotadas em bolsa! Que tem a ver o sistema Educativo com o âmbito do "desporto", repito, na sua vertente profissional? Se esta área de desempenho empresarial é importante ou não para a Região, deve competir à Economia defini-la na compaginação com todas as outras áreas empresariais e no quadro das prioridades da Região. Simplesmente porque na vida empresarial não podem existir uns e outros. A Educação tem a função específica de dinamização do desporto educativo escolar, fundamentalmente, no sector público, onde, de facto, os meios têm sido irrisórios para o trabalho que tem de ser realizado. 
Regressarei ao assunto, mas esta secretaria da Educação começa mal. Curiosamente, uma das primeiras intervenções do anterior secretário foi uma visita aos clubes Marítimo e Nacional. Passados quatro anos, o recém empossado secretário começa por uma decisão sobre os mesmos clubes. E aqui vamos. Aguardo pelo programa de governo para 2015/2019. 
Ilustração: Google Imagens.

Sem comentários: