sábado, 6 de junho de 2015

QUE NINGUÉM SE APROVEITE DO TRABALHO DO BANCO ALIMENTAR CONTRA A FOME


À primeira não valorizei. Refiro-me à passagem da secretária regional da Inclusão e Assuntos Sociais pelas instalações Banco Alimentar, no dia que marcou mais uma recolha de bens alimentares. Deveria ter evitado. Uma coisa é solicitar ou marcar uma reunião institucional, outra, colar-se, politicamente, a uma instituição particular de solidariedade social. Eu próprio, juntamente com o Dr. Bernardo Martins, então presidente da Comissão Especializada de Assuntos Sociais e Saúde, em Lisboa, face à resistência do Governo Regional, reunimos, com a Drª Isabel Jonet, no decorrer da Legislatura 2007/2011, para percebermos os motivos que levavam à não concretização de um Banco Alimentar, na Madeira. Tratou-se de uma reunião institucional. E se há dias foi a secretária, ontem, foi o grupo parlamentar do PSD a lá pôr o pezinho de lã. Ora bem,  deixem as pessoas trabalhar, elas sabem o que têm a fazer. O governo, esse sim, que resolva o problema da educação e da empregabilidade para que muitos deixem de estar dependentes da ajuda social. Não se metam onde não são chamados e deixem-se de blá, blá!


Custa-me assistir a estes aproveitamentos quando, se tivessem memória, pediam desculpas aos muitos pobres madeirenses e portosantenses, por tantos entraves que foram criados e tantas desculpas esfarrapadas que foram dadas, na Assembleia, para que o Banco Alimentar não fosse criado na Região. Nessa altura, a Região dos Açores já tinha dois bancos, um em S. Miguel, outro na Terceira. Eu conheço a história e tenho presente a luta quer do Dr. Bernardo Martins, quer do Dr. Edgar Silva no sentido de garantir os meios necessários à sua concretização. Peçam desculpa e não apareçam por lá. Nem o PSD nem todos os outros. E tomem consciência do que diz, ainda hoje, no DN-M, o presidente da Delegação Regional da Cruz Vermelha, Tenente Coronel Rui Nunes: "(...) penso que em determinada altura, se calhar, as entidades investiram pouco no apoio às pessoas. Deram mais visibilidade as obras do que propriamente ajudar as pessoas".
Penitenciem-se e apresentem, isso sim, entre outras medidas que atenuem a dor, um Projecto de Resolução recomendando ao governo que atribua um complemento mensal a todos os pensionistas obrigados a viver com menos do que está definido como o limiar de pobreza. Proposta sucessivamente chumbada na Assembleia pelo PSD-M e que há muito existe na Região Autónoma dos Açores. Visitar o Banco Alimentar é um número de circo e vale zero para quem tem fome.
Ilustração: Google Imagens.

2 comentários:

Anónimo disse...

Ohh...homem.Os novos ricos do ps que peçam uma audiência.È aproveitamento inteirar-se dos problemas?
Se o ps,em vez de andar em lisboa e na venezuela,falasse com o povo e com os responsáveis pelas instituições,provávelmente os resultados seriam diferentes.Não acha?
Isto de andar em Caracas,Dili,Joanesburgo, Maraquexe e dormir no gabinete da câmara dá nisto.Que POBREZA FRANCISCANA.Mas o povo é Burro não é?Espere pelas áutarquicas e terá a resposta-11-0.Quer apostar?E lá vai mais um lider.QUER APOSTAR?

João André Escórcio disse...

Boa tarde.
Vou destacar e responder no blogue e no FB.