sábado, 11 de julho de 2015

BERNARDO TRINDADE CABEÇA DE LISTA, NÃO! PS-M "BARRIGA DE ALUGUER", NÃO!


De forma muito clara e directa: o Dr. Carlos Pereira é o líder do PS-Madeira, logo o candidato natural à Assembleia da República. O texto de hoje publicado na edição do DN-Madeira (página 18) que dá conta de uma alegada "escolha" do Dr. Bernardo Trindade como cabeça de lista pelo PS-Madeira, confesso, não me surpreendeu. Conheço o essencial da trama e das cumplicidades. Mas não é por aí que quero tecer algumas considerações, tampouco comento a profunda deselegância do Dr. António Costa ao tentar ultrapassar os órgãos políticos da estrutura regional que, saliento, gozam de autonomia. Situo-me apenas na matéria de facto. O PS, após um resultado muito desagradável nas últimas legislativas, realizou um Congresso. À liderança puderam, livremente, candidatar-se os militantes, no mínimo, com as quotas em dia. Bernardo Trindade não o tendo feito, o que pressupõe desinteresse pela luta política regional, pergunta-se, que legitimidade tem para, agora, ser candidato pela Madeira?


Depois, há um aspecto que me causa um certo enjoo. Há oito anos que o PS-Madeira tem, na figura de Carlos Pereira, a sua principal referência. Foi, através do estudo que empreendeu, que os madeirenses ficaram a saber, cêntimo a cêntimo, a verdadeira dívida da Madeira, sempre negada pelo governo da Região e, mais tarde, confirmada pelo governo da República. Independentemente dessa importante tarefa, traduzida em livro (A Herança), Carlos Pereira com a sua notável capacidade de trabalho, de argumentação, rapidez de raciocínio e fluência de palavra, manteve a chama de uma necessária alternativa construída na sede da Autonomia. Durante todo esse tempo, relativamente à Madeira político-partidária, nunca ouvi ou li uma posição de Bernardo Trindade frontal e inequívoca. Escolheu viver em Lisboa, desde há dez anos, é lá que desenvolve(u) a sua actividade profissional, portanto, ao Dr. António Costa, se pretende tê-lo na Assembleia da República deve convidá-lo a concorrer por Lisboa. Pela Madeira, NÃO.
Em suma, faço minhas as palavras do Dr. Carlos Pereira: um PS "barriga de aluguer" de interesses, NÃO, OBRIGADO. Para além do facto de, pessoalmente, estar farto de mitos e de sebastianismos bacocos.
Ilustração: Google Imagens/Carlos Pereira.

4 comentários:

Anónimo disse...

Muito bem.Concordo

Anónimo disse...

Você é um hipócrita.

João André Escórcio disse...

Hipócrita, porquê? Por transmitir aquilo que me vai na alma? Por dizer, democraticamente, o que sinto que constitui a minha e só minha verdade? Depois, por que motivo se esconde no anonimato? Não seria mais lógico apresentar-se, dizer o que pensa, defender o que pensa e estabelecer um diálogo sério?
Sabe, o meu tempo na política activa há muito que terminou, mas não terminou, ainda, a minha capacidade de análise do que se passa na frente dos meus olhos. Uma coisa posso garantir: se eu estivesse naquela situação do Dr. Bernardo, conhecendo os Estatutos Regionais do PS, nunca teria aceitado o convite do Dr. António Costa. Por uma questão de respeito para comigo próprio.

João André Escórcio disse...

Remeteram-me um comentário de natureza rasca e intimidatória. Uma garotice de um "anónimo". Alguém que não tem coragem de discutir os assuntos com respeito pela opinião dos outros. Refugia-se. Esconde a mão onde tem a pedra. Se pensa que que intimida, pois tire o cavalinho da chuva, pois quando saio a uma porta não preciso de algum tempo para enrolar o rabo. Tenha um bom Domingo, aqui não publico comentários desprezíveis.