sexta-feira, 17 de julho de 2015

DIZ O TRIBUNAL DE CONTAS QUE O SAQUE CONTINUA



Facto:
"O Tribunal de Contas (TdC) considera que o aumento dos descontos para a ADSE foi “excessivo”, não tem suporte em estudos e que, em 2015, bastaria uma contribuição de 2,1% para que os custos com os cuidados de saúde prestados fossem integralmente financiados pelos beneficiários (...) uma percentagem bastante inferior aos 3,5% exigidos actualmente". Este mês descontaram duas vezes: 3,5% sobre o salário ou pensão e mais 3,5%sobre o 13º mês. Não se contentam com a redução das comparticipações, vão mais longe agravando os descontos para o sistema de saúde.
Pergunta:
Até quando os portugueses vão tolerar que continue o esbulho às carteiras dos pobres cidadãos?
Ilustração: Google Imagens.

1 comentário:

Anónimo disse...

Até quando?
Oportuna esta auditoria do Tribunal de Contas.Mas seria, noutros contextos, de ir mais longe.A ADSE é um sistema contributivo.Houve tempo em que as quotizações não cobriam as despesas? Qual a diferença e em que anos? No total de anos, desde a sua criação, qual é o saldo global? Desde a sua criação, que realidade económica,legislativa, social e orçamental do país, é necessário analisar? Quantos beneficiários foram surgindo ao longo dos anos? Para além de ser um sistema contributivo,o funcionário público ainda pagava e paga.Ora mais ora menos.
Ainda bem que o tribunal de contas fez este trabalho.
Há ainda muito mito.E muito análise parcial. Que dizer, por exemplo, da opinião de Vital Moreira no Económico?