sábado, 17 de outubro de 2015

INSPECÇÃO NA EDUCAÇÃO. PRONTO, FINALMENTE O PROBLEMA ESTÁ RESOLVIDO!


Esta secretaria regional de Educação da Madeira parece ter adoptado o slogan: "cada tiro cada melro" ou "cada cavadela, cada minhoca". Agora é a paranóia da Inspecção Regional de Educação. Quarenta anos depois descobriu um papel de "avaliação diagnóstica" visando a melhoria do sistema educativo. Ontem, lançaram esta pérola: "(...) A ideia é actuarmos numa lógica integrada, actuarmos com pressupostos e princípios que possam fornecer instrumentos para os decisores para que possamos ter uma gestão apontada ao sucesso" (...) "Se fizermos bem à primeira temos a garantia do sucesso organizacional e individual", salientou o secretário. Uma pérola, repito. 


Ora, a inspecção sempre existiu, desde o tempo da "outra senhora" pelo que se pergunta: da inspecção resultou alguma coisa em benefício do sistema? Nada. Desde a regionalização do sistema até hoje, a inspecção funcionou e resolveu alguma coisa substantiva? Nada. E assim, pergunto, é por essa via, a da inspecção, que irão "melhorar os resultados dos alunos, diminuir a taxa de abandono precoce e diminuir os focos de indisciplina? Não. 
As questões do insucesso escolar, a taxa de abandono e a indisciplina, preocupações da secretaria, dizem, têm causas profundas que não competem à inspecção diagnosticar e propor metodologias. Esse drama no qual a escola mergulhou tem raízes políticas, económicas, financeiras, sociais e culturais. E todas essas razões há muito que estão diagnosticadas e propostas as intervenções necessárias, a montante do sistema e de forma integrada. Aliás, deveriam ler desde monografias de Licenciatura, a Dissertações de Mestrado até Teses de Doutoramento. Há milhares de documentos escritos. Daí que, ontem, digo eu, a secretaria da Educação apenas cumpriu mais um número político. Importante, mais uma vez o digo, teria sido o governo dizer o que pretende fazer deste velho e caduco sistema educativo. Que "sonho" tem para o sistema. Que medidas pretende implementar, com prudência e cadência temporal no sentido de uma aprendizagem para a vida e não apenas para exames. Que sistema pretendem para a Região, para que a regionalização valha a pena.
Mas não, a secretaria o que pretende é inspeccionar o erro para que o erro continue, agora embrulhado, talvez, em papel de celofane colorido. Eu que leccionei tantos anos, que vivi a escola e que ainda ando apaixonado por tudo quanto à Educação e ao sistema educativo diz respeito, olho para isto, suspiro e questiono-me: por que te ralas? Só que não consigo. A minha vida foi vivida dentro da escola e quando confronto o disparate com o que vou lendo de tantos com quem aprendo, apetece-me gritar aos ouvidos desta trupe geringonça que não consegue, no mínimo, pegar o fio à meada e começar. Atente-se no título da iniciativa: "Missão e Perspectiva para o ano lectivo 2015/2016". Isto diz alguma coisa? A mim, NÃO. Mas de uma coisa estou certo: no final do ano surgirão relatórios muito embelezados, mas ocos, porque, tal como outros, manterão o erro primeiro, isto é, a falta de coragem para mexer onde deve ser mexido! 
Ilustração: Google Imagens.

2 comentários:

Anónimo disse...

Sr Professor,se tiver interessado dar uma vista de olhos num blog chamado:Fronteiras do Pensamento.www.fronteiras.com.Achei muito interessante...

João André Escórcio disse...

Muito obrigado. Não conhecia e já lá fui e encantou-me. Sigo Savater e Morin. De Savater já conhecia a "Carta à minha amiga professora". Os outros são referência importantes do pensamento. Muito obrigado pela sugestão.