sábado, 11 de junho de 2016

SALVEM A PONTE E DEIXEM O PING-PONG PARA O ANO!


O Dr. Sérgio Marques, secretário regional dos Assuntos Parlamentares e Europeus, que tutela as obras públicas da Região, acaba de rebater as posições da Câmara do Funchal sobre a demolição da Ponte Nova, na sequência de uma pertinente chamada de atenção do Engº Danilo de Matos, publicada no FB, de cujo texto aqui transcrevo a seguinte passagem: "A Ponte Nova tem os dias contados. O camartelo da estupidez e da ignorância assim sentenciou, em nome não se sabe bem de quê. Está a decorrer na Ribeira de Santa Luzia uma operação de destruição cultural e patrimonial como nunca aconteceu na cidade. Voltaremos a esta questão em breve. Agora interessa, porque ainda vamos a tempo, salvar a Ponte Nova. Depois da Ponte do Cidrão, abatida em Novembro de 2014 pelos mesmos predadores culturais, a Ponte Nova, constitui uma peça única que a Cidade não pode perder. Construída no último quartel do século XIX em cantaria vermelha da Região, um arco perfeito duma esbelteza impressionante. (...)"


O secretário reagiu bem ao acto de "cidadania" do Engº Danilo de Matos, mas não gostou do que o Vereador, Engº Miguel Gouveia, assumiu em defesa da Ponte Nova. Um ping-pong político que rigorosamente nada interessa para o caso. O Dr. Sérgio Marques deveria ter presente três aspectos:
1º O "dono da obra" é o governo regional, pelo que lhe competiria, em tempo certo, reunir todos os documentos de defesa do património, o que, manifestamente, parece não ter feito. O governo, na sua estrutura orgânica, até dispõe de uma Direcção Regional dos Assuntos Culturais;
2º Em segundo lugar, olhar para dentro do seu governo para perceber quem foi o autarca que, durante vários mandatos, mais património ignorou e aceitou a sua degradação ao ponto de se tornar irrecuperável. O que significa que, neste aspecto, melhor seria a contenção nas palavras. E deveria ir mais longe e procurar determinar quem foram os políticos, com funções governativas, que permitiram a descaracterização da nossa identidade histórico-cultural. As marcas estão um pouco por toda a Região. 
3º Finalmente, as eleições autárquicas ainda são para o ano, pelo que este tipo de arremesso de culpas não faz sentido. Importante é que seja impedida, como salienta o Engº Danilo de Matos, "a demolição da secular Ponte Nova" que, à hora que escrevo, conta já com 985 partilhas na página de FB. 
O resto, Dr. Sérgio Marques, é treta. Só lhe compete, por uma questão de bom senso, dizer não ao "camartelo da estupidez e da ignorância".
Ilustração: Danilo de Matos.

2 comentários:

Anónimo disse...

Desculpe a ousadia, mas faço minhas as suas palavras. E reforço o apelo: Salvem a ponte!

João André Escórcio disse...

Obrigado pelo seu comentário.