terça-feira, 25 de outubro de 2016

EXPLORAÇÃO DOS MADEIRENSES E PORTOSANTENSES


FACTO

Esta manhã, na Assembleia Legislativa da Madeira, contestando uma proposta do CDS a propósito da APRAM (Administração dos Portos da Região Autónoma da Madeira), o Deputado Carlos Rodrigues, em nome do grupo parlamentar do PSD, assumiu: “(...) Discuto o modelo portuário todo, não é só a APRAM. Vamos trabalhar com documentos concretos na mesa (...) toda a gente concorda que os custos têm de diminuir para o consumidor”.

PERGUNTA

Tenho dificuldade em situar no tempo a data que, pela primeira vez, o problema foi levantado. Anos e anos de uma iníqua exploração que favorece(u) um grupo com graves prejuízos para quem vive na Região. Foram sempre esfarrapadas todas as justificações para chumbar as diversas propostas apresentadas pelos partidos. A questão é esta: o poder regional, no limite da contestação, estará, uma vez mais, a tentar empurrar o problema, para manter o actual quadro onde se misturam interesses de vários "compadres"?

NOTA
Escrevi no meu blogue (www.comqueentao.blogspot.com) a 10 de Maio de 2008: "(...) Por mar é o que se sabe relativamente ao escândalo dos preços praticados no porto do Funchal que encarece tudo quanto consumimos. Outra vergonhosa exploração! Uma autêntica fraude a todos os que vivem nesta Região. Basta só referir que, por exemplo, o concessionário do porto de Leixões movimenta cerca de 282.000 contentores por ano e factura 38 milhões de euros. A autoridade portuária recebe cerca de 11 milhões de euros; o porto do Caniçal movimenta 81.000 contentores e a facturação da OPM é de cerca de 15 milhões de euros. Isto é, a OPM factura metade do concessionário do porto de Leixões e movimenta menos 4,5 vezes o número de contentores. E perante isto, o governo regional continua mudo, sem reacção, interesseiramente apático. Quem sofre com isto? Todo o povo da Região.
Ilustração: Google Imagens.

Sem comentários: