sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

UM TIPO DE DISCURSO QUE JÁ NÃO PASSA


"Uma dívida de 15 milhões de euros dos subsistemas de saúde, 60 milhões da sobretaxa do IRS e uma discriminação em relação aos Açores, que recebem mais 90 milhões, foram as primeiras acusações de Carlos Rodrigues contra o governo da República". (DN-Madeira). “Gozaram, brincaram com todos os madeirenses”, afirmou. Estava a ler a peça jornalística e questionei-me: o que é isto comparado com uma dívida gerada de forma tresloucada e que atingiu mais de seis mil milhões. São trocos, obviamente. Dívida, aliás, criada pela megalomania de uns e que todos os madeirenses e portosantenses estão a pagar. 

Mas, atenção, se há dívidas da República para com a Madeira, é claro que têm, caso a lei o permita, de ser liquidadas. Quanto à Região dos Açores, o Senhor Deputado deveria saber (e sabe) que há lei que define o montante das transferências. Desde logo, entre outros factores, não faz sentido comparar duas ilhas com nove, separadas por 602 km, entre S. Maria e o Corvo.
Finalmente, a dívida da Madeira que, julgo eu, será impagável, leva-me a concluir que, de facto, durante muitos anos, "gozaram, brincaram com todos os madeirenses". 
Parece-me óbvio que aquele tipo de discurso é antigo, muito antigo, e já não passa. O povo precisa de NOVIDADE no quadro da responsabilidade.
Ilustração: Google Imagens.

Sem comentários: