segunda-feira, 1 de maio de 2017

43 ANOS DEPOIS... RESPEITEM OS ELEITORES


Ontem, a Câmara Municipal do Funchal anunciou um investimento calculado em 70 milhões visando a reabilitação urbana, depois de vários estudos realizados por uma equipa liderada pelo Arquitecto Paulo David. O DN-Madeira titulou "Programa Arrojado". Hoje, o PSD vem falar de uma "febre de mostrar trabalho (...) a cinco meses das eleições (...) o que significa, sublinham, "show-off’ político". O mais interessante disto é que ainda na passada semana, o governo foi à Ribeira Brava e a Machico anunciar mais de 12 milhões de investimentos. Mas aqui parece que tudo é normal e, portanto, não existem promessas a "cinco meses das eleições". 



Pior, ainda, se a Câmara paga a dívida deixada que atingiu os 105 milhões de euros, reduzindo-a substancialmente e sem contratos-programa com o governo, logo é criticada porque não fez obra. Então, a pergunta que fica aos olhos do cidadão, talvez seja esta: se lá tivessem continuado, como pagariam a dívida aos fornecedores e, simultaneamente, fariam investimento em obras públicas?
Quarenta e três anos depois de Abril é tempo do discurso político não assentar em paleio insustentável e sem deixar rabinhos de fora! É tempo dos políticos se consciencializarem que lá foi o tempo dos eleitores comprarem gato por lebre. O exercício da política faz-se, no poder, através do cumprimento dos programas sufragados e, na oposição, através da fiscalização e de um grande sentido propositivo. Tudo o resto cansa.
Ilustração:  Google Imagens.

Sem comentários: