segunda-feira, 15 de maio de 2017

SE É ASSIM, O DISCURSO DE RUBINA LEAL NÃO É POLITICAMENTE SÉRIO


Depois de várias semanas a cavalgar uma situação que nunca me pareceu séria, eis que Carlos Pereira, presidente do PS-Madeira, vem acabar com os equívocos. Li, sucessivamente, que os Açores tinham mais dinheiro para a Segurança Social do que a Madeira, mas nunca escutei da boca da Drª Rubina Leal as razões substantivas porque tal acontece, concretamente, as regras e os protocolos assumidos entre as partes que determinam que tal aconteça. Ficou-me sempre a ideia desta governante lançar para o ar uma historieta, escondendo as causas. Devem ser poucas as pessoas, independentemente do governo que esteja na República, a acreditar que a orientação nacional seja a da protecção de uns em detrimento de outros. Curiosamente, por maior gritaria política que seja feita, o escrutínio nacional feito pela comunicação social e comentadores, rigorosamente nada dizem sobre esta matéria. Eu não conheço as variáveis que estão em causa na determinação dos valores a atribuir para a protecção social, portanto, compete ao governo regional assumir e negociar o que está definido, naturalmente, com o seu aval. Repito, apenas levantar a suspeição não me parece sério.


Esclarece o presidente do PS-Madeira, Dr. Carlos Pereira:
“Segundo as recentes declarações da Secretária Regional da Inclusão e Assuntos Sociais, Rubina Leal, a Madeira tem menos dinheiro que os Açores para apoiar a pobreza, esquecendo, porém, que os apoios financeiros foram reduzidos pelo governo PSD/CDS, razão pela qual Carlos Pereira entende que o Governo Regional devia adicionar verbas para apoiar os mais pobres na Região Autónoma da Madeira” (...) o “PSD-M tirou cerca de 10 milhões de euros do Instituto de Segurança Social da Madeira e, este ano, vai retirar mais 5 milhões de euros para aplicar em medidas activas de emprego” (...) “o executivo de Albuquerque retira do ISSM, as escassas verbas existentes para apoiar a pobreza, no sentido de as transferir para um outro problema, nomeadamente a criação de emprego, que devia ser da responsabilidade do Governo Regional ao invés da Segurança Social” (...) “Há uma diferença, muito grande, entre o que faz o governo Socialista e o que faz o PSD quando comparamos as medidas de apoio à pobreza no plano da Região Autónoma dos Açores, uma vez que só no Orçamento Regional Açoriano existem mais de 20 milhões de euros para apoiar a pobreza enquanto na RAM não existe no Orçamento um único cêntimo para apoiar essa matéria”.
Ilustração: Google Imagens.

Sem comentários: