sexta-feira, 13 de abril de 2018

PELA BOCA MORRE O PEIXE OU COMO LER NÚMEROS E ESTATÍSTICAS



FACTO

"Centro (de saúde) do Bom Jesus parado por falta de pagamento (...) ia custar 4,9 milhões. Quatro anos depois, sem a obra, a previsão já vai em 5,4 milhões" - Fonte: DN-Madeira, edição de 10 de Abril de 2018.

COMENTÁRIO

Há dias gerou-se uma polémica entre os dois governos, regional e nacional, tendo o centro da questão se centrado entre quem tinha culpas no cartório no rigor das contas públicas. De forma célere e de crista levantada, o vice-presidente do governo regional veio dizer que "(...) desde 2013 que a Madeira não tem défice" (...) A Madeira, em termos de contabilidade nacional, a única que conta para a avaliação do défice apresentado à União Europeia, tem tido saldos positivos desde 2013". Muito bem! Independentemente do contexto que justificou a posição do primeiro-ministro, face à posição do vice-presidente do governo regional, qualquer cidadão coloca, obviamente, uma questão: de 2014 para cá, com saldos positivos, como se explica a falta de pagamento de uma obra há muito esperada por médicos, enfermeiros e restante pessoal técnico e administrativo?
Não tenho resposta. Apenas sei que, também na Câmara do Funchal, onde foi vereador com o pelouro das finanças, o actual vice-presidente do governo, enalteceu, vezes várias, que a Câmara apresentava saldos positivos. Mais tarde, confirmou-se uma dívida global superior a 100 milhões. 
Digo eu, depende de como alguns são capazes de olhar para as contas! 
Ilustração: Google Imagens.

Sem comentários: