sábado, 6 de fevereiro de 2016

POLÍTICA DE SAÚDE: 40 ANOS DEPOIS DE ABRIL OS NÚMEROS SÃO ARRASADORES E CONFIRMAM QUE A POLÍTICA BRINCA COM O SOFRIMENTO


A edição de hoje do DN-Madeira apresenta um conjunto de números absolutamente dramáticos. O Sistema de Saúde está em um caos. Quarenta anos depois de Abril, com o sistema regionalizado, nesta região com Estatuto próprio, Assembleia Legislativa própria, governo próprio e orçamento próprio, as perguntas que se colocam, entre outras, são estas: como foi possível chegar a esta situação, apesar da Madeira ter cerca de 250.000 habitantes (menos 100.000 que o concelho de Sintra)? Quais as causas e respectivos responsáveis pelo dramatismo da situação a que se chegou? 


Afinal, a tal "renovação" política não passou de paleio, uma vez que se verifica um exponencial aumento mensal de doentes em lista de espera? Os números hoje apresentados envergonham o sistema, direito constitucional inalienável, e colocam em causa todas as políticas seguidas. Concluo: há muito que os madeirenses deveriam ter procurado uma alternativa política. É o que se chama continuar a apostar no cavalo errado, manco, magro e velho. Também será caso para dizer, qual metáfora, que o sistema de Saúde precisa de "cuidados paliativos" para alívio do sofrimento, compaixão pelo doente e seus familiares.
Ficam os números para reflexão:
"19.200 - Número de doentes na lista de espera para a realização de uma cirurgia no sistema de saúde público da Região, no final de 2015.
16 - Anos que aguardam os doentes há mais tempo nas listas de espera de Ortopedia e Neurocirurgia.
150 - Ritmo médio do crescimento mensal do número de doentes nas listas de espera para cirurgia, em 2015."
Ilustração: Google Imagens.

Sem comentários: