segunda-feira, 15 de agosto de 2016

CRISTO PEDE LIBERTAÇÃO, NÃO SUBJUGAÇÃO!


E tanto que havia para dizer, mas fez-se silêncio. Palavras de circunstância, tantas vezes repetidas que quase as adivinhamos. Segui a Homilia do Senhor Bispo do Funchal por ocasião da Missa a Nossa Senhora do Monte, Padroeira dos madeirenses. Uma palavra: desilusão. Uma Homilia sem força, sem emoção, sem coragem, cheia de lugares comuns, completamente alheia às circunstâncias do momento. 


Tornou-se moda trazer à colação o Papa Francisco, mas, pergunto, com que pertinência e com que efeito? O Senhor Bispo, mesmo não querendo comprometer-se com nada, até percebo, tinha o dever e obrigação de tocar nas feridas sociais que sangram, através da Palavra incisiva e coerente com a Igreja a que pertence. Não gosto que passem entre os pingos da chuva sem se molharem, ou entre as cinzas que caem sem se sujarem. Os madeirenses precisam de ouvir, interpretar e consciencializar-se que a Vida não é subjugação, que a Vida não é sofrimento permanente e que não se resolvem os problemas da Vida apenas com fé e caridade. Cristo, pelo que me transmitiram, não pede sofrimento, não pede obediência cega a governantes e não pede que se bata no peito para logo de seguida cometer erros que a todos afecta. Pede LIBERTAÇÃO. E isso, Senhor Bispo, não escutei. Infelizmente, apenas ficou o ritual. O que é muito pouco ou nada.

Sem comentários: