sexta-feira, 8 de março de 2013

08 DE MARÇO


Por princípio não gosto de comemorações como a de hoje. Simplesmente porque, em função de direitos e deveres iguais, o ser humano deve ser celebrado todos os dias. Mas também é verdade que, apesar de todas as lutas, as desigualdades persistem. Segundo números da Comissão Europeia, as mulheres portuguesas só conseguem atingir o salário dos homens com mais 65 dias de trabalho. Em Portugal, as mulheres ganham menos 18 por cento do que os homens. Fora tudo o resto!

Deixo aqui uma fantástica e comovente intervenção de uma jovem actriz, Joana Manuel, que pode constituir um momento de reflexão, não apenas no campo da cultura, mas em tudo o que se relaciona com a nossa vida. É o testemunho de uma MULHER. 


"Neste dia 8 de Março, mas em 1857, um enorme grupo de operárias têxteis de uma fábrica de Nova Iorque deu início a uma greve, acompanhada de uma ocupação da fábrica. O objectivo dessa luta era a reivindicação de uma redução do horário laboral (cerca de 16 horas por dia). As mulheres defendiam 10 horas laborais de trabalho, bem como uma avaliação do seu salário, que representava um terço do salário pago aos homens. As operárias, cerca de 130, foram encerradas na fábrica e morreram queimadas. 
Esta é a génese do Dia Internacional da Mulher, que foi instituído em 1910, aquando de uma conferência internacional de mulheres, que ocorreu na Dinamarca. No entanto, só mais tarde o dia foi celebrado. O dia 8 de Março serviu então para homenagear as mulheres, com a comemoração deste dia internacional que persiste com muitas metas por cumprir. Há mais de um século que as mulheres lutam pela igualdade de direitos laborais, o que ainda permanece por cumprir. Aliás, esta diferença entre homens e mulheres é assinalada no Dia Europeu da Igualdade Salarial, comemorado a 2 de Março, para chamar à atenção para um facto: as mulheres ganham menos do que os homens, que conseguem ordenados médios 16,4 por cento superiores. Segundo números da Comissão Europeia, as mulheres portuguesas só conseguem atingir o salário dos homens com mais 65 dias de trabalho. Em Portugal, as mulheres ganham menos 18 por cento do que os homens". Texto integral aqui.

Sem comentários: