sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

A POUCAS HORAS DO ACTO ELEITORAL, ESTE TESTEMUNHO VALE A PENA SER ESCUTADO


As sondagens são um indicador, devem ser consideradas, mas não dizem toda a verdade. A revista Visão, ainda recentemente, questionava: "Podemos confiar nos estudos sobre intenção de voto? Menos disponibilidade dos inquiridos e desfasamento das bases de dados podem explicar a maior divergência de resultados, mas a verdade é que NINGUÉM VIGIA as empresas de sondagens". "Não há qualquer tipo de fiscalização efectiva", nota António Salvador, 57 anos, presidente do Conselho de Administração da Intercampus e ex-presidente da Associação Portuguesa das Empresas de Estudos de Mercado e de Opinião. Está tudo dito. Em dez candidatos querem fazer de um o vencedor antecipado. Já teve mais de 60% das intenções de voto, dizem que anda pelos 52% e acabará, é a minha convicção, em uma segunda e absolutamente NECESSÁRIA volta. Espero que isso venha a acontecer. Entretanto, ouçamos Pedro Barroso. É exactamente o que ele diz que me leva a votar em Sampaio da Nóvoa.

 

Sem comentários: