quinta-feira, 16 de junho de 2016

EM DEMOCRACIA O RESULTADO NUNCA É ZERO


Do anterior regime político, os ainda vivos, devem ter dado uma gargalhada, ao lerem a infeliz declaração do Dr. Eduardo Jesus, secretário regional da Economia da Madeira. No decorrer do debate sobre a Moção de Censura ao governo regional, proposta pela CDU, a páginas tantas disse: “(...) Vossa Excelência [Ricardo Lume] sabe quanto custa estarmos aqui hoje todos reunidos? Vinte e cinco mil euros! Sabe qual é a consequência disto? Zero!”


Pois, Senhor Dr. Eduardo Jesus, a Democracia é assim, rege-se por princípios constitucionais e estatutários e o seu grande valor é, exactamente, o debate das posições dos diversos pensamentos. Em Democracia o resultado nunca é zero. Há sempre uma consequência, mesmo quando, no somatório dos votos vençam os que têm maioria parlamentar legítima (mesmo que presa por um fio). Simplesmente porque, do debate resultam sempre chamadas de atenção que, por sua vez, fazem o governo corrigir as suas tomadas de posição políticas. Em um regime ditatorial, aí sim, Senhor Secretário, o debate não existe e, por isso, vale zero. 
Eu que vivi a ditadura, que cumpri uma comissão militar em Guileje/Guiné Bissau (o Dr. Eduardo Jesus não sabe o que isso foi), não estou preocupado com os vinte e cinco mil Euros (estou preocupado é como esbanjamento em muitos sectores e áreas, bem com a crónica protecção de alguns grupos económicos), pelo que preferia que o político governante aproveitasse o tempo que levou para chegar a uma tal perversa conclusão, para governar e apresentar soluções para os dramas da Região, cuja maioria do seu povo arrasta consigo uma permanente angústia.
Ilustração: Google Imagens.

Sem comentários: