segunda-feira, 27 de junho de 2016

"O NOSSO PLANO A É O PLANO A, É SÓ O PLANO A E NÃO HAVERÁ PLANO B" - ANTÓNIO COSTA.


"A direita errou no défice, a direita errou no investimento, a direita errou nas exportações, a direita errou no desequilíbrio da balança comercial, a direita errou e agora é altura de nós perguntarmos qual é o plano B da direita, depois de ter falhado tão redondamente ao longo de todo o primeiro ano da sessão legislativa". "A verdade é que a direita não tem plano B, a direita só tinha como ânimo o azedume, como objetivo a vingança e como sonho o falhanço do país"

Acompanhei a intervenção de hoje do Secretário Geral do PS, Dr. António Costa, no decorrer das Jornadas Parlamentares do PS-Açores. Pela importância das declarações aqui fica o essencial das suas declarações. 
O défice das administrações públicas, em contas nacionais, foi de 3,2% do Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre deste ano, divulgou, na última sexta-feira, o Instituto Nacional de Estatística (INE). No primeiro trimestre do ano anterior, o défice tinha sido de 5,5% do PIB (-2.344,6 milhões de euros). Face aos números, António Costa disse, então, que é o momento de começar a fazer "o balanço de quem cumpriu o plano A e de quem fracassou na ambição de ter um plano B" (...) "O que nos veio dizer o INE é que tivemos o melhor défice desde 2008". E foi mais longe ao afirmar que se forem descontadas as medidas extraordinárias que existiram em 2008, o país registou "o melhor défice do primeiro trimestre desde 2002", ao contrário "de todas as profecias que a direita ia fazendo, ao contrário de todos os planos B" que pedia ao Governo (...) "O nosso plano A é o plano A, é só o plano A e não haverá plano B". E sendo assim, sublinhou: "A direita errou no défice, a direita errou no investimento, a direita errou nas exportações, a direita errou no desequilíbrio da balança comercial, a direita errou e agora é altura de nós perguntarmos qual é o plano B da direita, depois de ter falhado tão redondamente ao longo de todo o primeiro ano da sessão legislativa". "A verdade é que a direita não tem plano B, a direita só tinha como ânimo o azedume, como objetivo a vingança e como sonho o falhanço do país", sustentando que "ninguém constrói esperança, ninguém tem futuro nesta base" (...) "E é por isso que, tendo apostado sistematicamente e só no nosso falhanço, os grandes falhados são a direita, porque a direita é que não acertou numa única das suas previsões e agora não tem nem medidas adicionais nem plano B para apresentar ao país, está esgotada, amarrada e ficou no passado que os portugueses derrotaram".
Ilustração: Google Imagens.

Sem comentários: