terça-feira, 14 de agosto de 2012

TRISTE O POVO QUE ACEITA FIGURAS DESTAS


O governo por si presidido que colocou a Madeira de "tanga", pois é esta figura que se mostra "preocupado", repare-se, com a "dívida oculta do Estado". Não fala do buraco que criou, mas coloca-se na primeira linha para falar do Estado. Percebo. Importante é distrair o povinho, isto é, estrategicamente interessa falar dos outros. Tal como o Albertinho que chega a casa e diz aos pais: "perdi o ano, mas o Pedro, o Passos e o Coelho também perderam. Espantosa cabecinha. E se se preocupasse com a sua governação, com a progressiva desgraça que anda por aí disfarçada! E se falasse ao povo de forma honesta, olhos nos olhos, clarificando como é que a Região vai pagar nos próximos anos tamanha factura? Onde estão as receitas e que dimensão vai atingir o desemprego? Como é que o governo irá suportar o sistema educativo e o sistema de saúde, ambos em ruptura financeira e em conflito entre profissionais? Que propostas tem para revitalizar o sector empresarial?
 
O Povo está farto desta conversa de AJJ
O presidente do Governo Regional da Madeira continua a tratar os madeirenses e portosantenses como se fossem uns tontinhos incapazes de perceberem a situação política e de elaborarem um correcto raciocínio sobre o alcance das suas palavras. Trata este povo como uma cambada de ignorantes. Ontem, deu mais um exemplo ao assumir, segundo o JM, que receia pelo futuro de Portugal. Interessante, o governo por si presidido que acumulou uma dívida global de oito mil milhões de euros, o governo por si presidido que colocou a Madeira de "tanga", pois é esta figura que se mostra "preocupado", repare-se, com a "dívida oculta do Estado". Não fala do buraco que criou, mas coloca-se na primeira linha para falar do Estado. Percebo. Importante é distrair o povinho, isto é, estrategicamente interessa falar dos outros. Tal como o Albertinho que chega a casa e diz aos pais: "perdi o ano, mas o Pedro, o Passos e o Coelho também perderam. Espantosa cabecinha.
E se se preocupasse com a sua governação, com a progressiva desgraça que anda por aí disfarçada! E se falasse ao povo de forma honesta, olhos nos olhos, clarificando como é que a Região vai pagar nos próximos anos tamanha factura? Onde estão as receitas e que dimensão vai atingir o desemprego? Como é que o governo irá suportar o sistema educativo e o sistema de saúde, ambos em ruptura financeira e em conflito entre profissionais? Que propostas tem para revitalizar o sector empresarial? Bom, são perguntas a mais e complexas, eu sei, perguntas que não convém explicar porque nem respostas tem para elas. A única coisa que sabe é que o JM tem de manter apoios entre três a cinco milhões anuais e que o desporto levará mais de dez milhões de euros. Com um jornal a fazer a sua propaganda e um futebol que vai distraindo, com a ajudinha preciosa, porque silenciosa, de uma certa Igreja, as coisas vão-se compondo, pensará. Entretanto, diariamente, dá fogo à peça, mas para lá. Aqui, nada se passa, para ele este é um "cantinho do Céu", abençoado, apesar de 22.000 desempregados e tudo o resto que se conhece. Quer lá saber que este ano, previsivelmente, venham a nascer menos 250 bebés ou que o hospital registe, semanalmente, 50 consultas (fora os consultórios privados) de psiquiatria? Ele quer lá saber das causas e das consequências futuras que sustentam esta situação! Quer lá saber da ausência de esperança e de confiança no futuro, de uma população entregue a si própria, cada vez mais pobre e encurralada no labirinto dos interesses partidários! Ele está é preocupado mas é com a "dívida oculta do Estado". Mostra-se, em sublime declaração de ontem, "seriamente preocupado" com o custo do petróleo nos mercados internacionais, mas nem uma palavra diz sobre o porquê dos vários combustíveis serem mais caros na Madeira que nos Açores. Disse aquilo que qualquer pessoa sabe: que "o petróleo mexe com muitos interesses mundiais que têm força financeira para anular a investigação de produtos alternativos". Fantástico. Que grande líder e que grande cabeça esta! Triste o povo que aceita figuras destas.
Ilustração: Google Imagens.

Sem comentários: