quinta-feira, 27 de agosto de 2015

SINAIS DOLOROSAMENTE PREOCUPANTES



É dramático e gerador de apreensão o Mundo que estamos a viver. São migrantes aos milhares, que chegarão aos milhões em fuga, muitos com crianças ao colo; são os muros da vergonha que se levantam nas fronteiras; são centenas que morrem no mar às mãos de traficantes sem escrúpulos; são crises humanitárias e campos de refugiados por tanto lugar; são países com enormes possibilidades de sucesso, mas cujos líderes escravizam os seus povos reduzindo-os à pobreza, enquanto, ditatorialmente, fazem incalculáveis fortunas; é o designado "estado islâmico" que se multiplica assustadoramente, matando selvaticamente e destruindo o património que a História nos legou, no quadro da sua "guerra apocalíptica global"; são os ataques a escolas, museus e mercados apanhando gente inocente que apenas quer viver; são os imensos conflitos regionais em permanente tensão; são as ameaças de uns Estados em relação a outros; são os jogos políticos geo-estratégicos; são os conflitos raciais; é a vergonhosa política ambiental mundial; é a expansão incontrolável do mercado da droga; são milhares apanhados para tráfico de órgãos; é a corrupção financeira que alastra a todos os níveis; são as políticas de medo em função de um futuro incerto; é a emigração dentro da própria Europa; são os "mercados financeiros" a funcionar como máquinas de casino; é a exploração dos trabalhadores em geral sujeitos a salários de miséria acrescido de uma substancial redução dos direitos sociais; é o crescimento de movimentos xenófobos; são órgãos de comunicação social que vendem a mentira e manipulam as consciências em função dos interesses dos grupos a que pertencem, enfim, por estas e tantas outras tão graves causas, estamos a viver um tempo de caos, de conflito e de imposição da lei do mais forte. Os próprios líderes políticos denunciam, claramente, que não sabem por onde caminhar. Estamos a perder, todos os dias, os princípios e os valores que deveriam orientar a Humanidade. O drama é que não vejo maneira de sair desta situação de forma pacífica e com bom senso. Ninguém está seguro e até viajar está a tornar-se perigoso. Começa a existir a sensação que temos de viver um dia de cada vez, com mil e um cuidados, pela incerteza e ausência de esperança. Tudo isto, assusta-me, porque vai acabar mal!
Ilustração:  Google  Imagens.

Sem comentários: