segunda-feira, 5 de outubro de 2015

PARABÉNS PS-MADEIRA. PARABÉNS BLOCO DE ESQUERDA


Do acto eleitoral de ontem o povo português, em síntese, acabou por dizer duas coisas: primeiro, 38,5% aplaude os sacrifícios impostos pelo PSD/CDS, mormente, o assalto à carteira, a perda de direitos sociais sobretudo na saúde, na educação e na protecção social, o emprego precário e a emigração forçada, bem como uma Europa de directórios que subjuga tudo e todos; segundo, 52,5% mostraram o seu desagrado por essas políticas. Quer um outro país com novas políticas. Na Assembleia da República, para já, teremos assim uma configuração de 104 deputados (PSD/CDS) contra 122 do PS/BE/CDU/PAN. Significa isto que, parece-me, que não existirão condições para a maioria relativa (PSD/CDS) ver aprovada uma moção de confiança ao programa de governo, muito menos ao Orçamento de Estado para 2016. 

E agora... Senhor Presidente da República?
Como vai descalçar a bota?

O Povo decidiu, está decidido. Politicamente, não existe qualquer legitimidade do PSD/CDS pedir aos restantes partidos um voto favorável às suas políticas, porque isso, obviamente, nas matérias centrais, colidirá com os seus programas sufragados pelo voto dos eleitores. Quando 52,3% dizem não às políticas do actual governo, apenas temos de respeitar. A estabilidade não pode ser interpretada apenas no quadro da direita política, mas também no da esquerda política. A democracia deve ser total e irrepreensivelmente respeitada.
Para já, PARABÉNS ao PS-Madeira que conseguiu sair de uma situação muito complexa, reganhando a confiança através de uma nova dinâmica reconhecida pelos eleitores. Da mesma forma, parabéns ao Bloco de Esquerda-Madeira que, pela primeira vez, vê um eleito pela Região na Assembleia da República.
Ilustração; Google Imagens. 

Sem comentários: