quinta-feira, 15 de maio de 2008

HÁ MUITO MAIS PARA ALÉM DO RELÓGIO

O Deputado José Manuel Coelho, do PND, tem tido uma actuação no Parlamento que reputo de muito curiosa e inteligente. Da sua boca não sai uma ofensa mas muita ironia, profunda, mordaz e enfeitada com um humor e um fácies de sorriso malandro e penetrante. Não é um tribuno com dons de oratória, a sua experiência parlamentar é nula, mas sabe o que pretende da sua função. Não é um político que brinque com as palavras e, por isso, com o semblante da humildade e no jogo das conotações, acaba por dizer aquilo que outros não são capazes ou levam uma eternidade para dizer.
Achei uma delícia esta frase: "(...) Sou um proletário que navega nos mares da sua própria ignorância". No contexto em que disse chamou a si a ignorância para definir, sem ofensa, de ignorantes os outros a quem se referia. A história do relógio, evidentemente que é inapropriada, mas ela trouxe no seu bojo, a crítica ao Parlamento, que motivou toda a comunicação social portuguesa a referir-se ao verdadeiro significado do episódio. Talvez por isso mesmo, figura de alguma relevância da maioria parlamentar segredava-me, há dias, que ele era mais perigoso para nós (PSD) do que a oposição junta.

Sem comentários: